Obàtálá

OBÀTÁLÁ - (Rei em vestes brancas ou Rei da Pureza) - É o Òrìsà de paz, harmonia e pureza. Ele é o pai da maioria dos Òrìsà e é o criador da humanidade. Ele é o dono da criação e representa claridade, justiça e sabedoria. Tudo o que é branco na terra pertence a ele: a neve, as nuvens brancas, os ossos, o cérebro, o algodão. Obàtálá é o sol e é também a chuva que cai para fertilizar a terra.

 

É o dono da argila e da criação.

 

Obàtálá é uma Divindade incumbida pelo Ser Supremo de criar a terra sólida e povoá-la e de modelar a forma física do homem, Obàtálá é frequentemente descrito como o representante do Ser Supremo na terra. Sendo um Òrìsà muito antigo, directamente originado do Ser Supremo, compartilha com Ele alguns nomes, entre os quais se encontram:

 

Òrìsànlá

Òrìsà-àlá

Atérerekáyé

Elédá

Alábaláse

Ibìkéjí Èdùmàrè

Osàlùfon

Ògìrìyán

Òrìsà funfun

Aládé séséefun

Òrìsà Ifè

 

Tradução:

 

(Grande Òrìsà, Rei que é Grande)

(Orisalá, Òrìsà da Pureza)

(O que se expande por toda a extensão da terra)

(Construtor)

(Regente que empunha o ceptro (Bastão Curto), símbolo da autoridade divina)

(Representante de Olódùmarè)

(Òrìsà da paz do reino de Ifón)

(Aquele que se alimenta de iyán, inhame pilado)

(Òrìsà branco, Òrìsà limpo)

(Rei cuja coroa é confeccionada com séséefun, miçangas brancas)

(Òrìsà da cidade de Ifè)

 

Obàtálá é o Òrìsà da criatividade, da paz e da tranquilidade, neutraliza turbulências e torna seus devotos prósperos, desde que se esforcem para isso: Obàtálá dá aos seus filhos motivo para rir e eles riem.

 

Este Òrìsà é exigente em relação ao senso de moralidade de seus filhos, que devem ser como a água da nascente. Exige que sejam correctos e de coração puro:

 

Aiye won a toro bi omi a-f'oro-pon!

Obàtálá a dani bo ti ri

Òrìsà to da abuke, lo se okun si aro ni idi

Oba aji je igbin

Ki Òrìsà ya 'na 're ko ni o

 

 

(Suas vidas serão puras e límpidas como água apanhada logo cedo pela manhã!)

(Obàtálá faz a pessoa do seu jeito)

(Òrìsà que fez o corcunda, é ele também que fez o aleijado mancar)

(O rei que come igbin logo cedo pela manhã).

 

As pessoas que nascem defeituosas são chamadas Eni Òrìsà (Devotos do Òrìsà), em homenagem a Obàtálá, e devem respeitar certos tabus alimentares. Em algumas regiões é costume dizer-se a uma mulher grávida :

 

(Possa Òrìsà realizar um belo trabalho de arte para nós).

 

Ouve-se também:

 

Ki 'se ejo eleyin gan-n-gan; Orisa l'o se e ti ko fi awo bo o

Ayé won á tòrò bí omi afàárò-pon!

Obàtálá adáni bó tí ri.

Òrìsà tó dá abuké, ló se okun sí aro ní idi.

Oba àjí je ìgbín.

 

Tradução:

 

 

(Os dentuços não devem envergonhar-se. Foi Òrìsà quem os fez e não providenciou cobertura suficiente para seus dentes).

Suas vidas serão puras e límpidas como água apanhadas na nascente logo cedo pela manhã!

Obàtálá fez a pessoa do jeito que ela é.

Òrìsà é quem fez o corcunda e também fez o aleijado mancar.

O rei que come ìgbín logo cedo pela manhã

(ìgbín como símbolo de autocontrole, paciência e serenidade).

 

Obàtálá é cultuado por toda a terra Yorùbá. Mulheres estéreis pedem a bênção de conceber e mulheres grávidas bebem água de seu santuário para terem filhos bonitos. Inválidos são tratados com essa mesma água, colhida de manhã bem cedo, devendo a pessoa que vai apanhá-la permanecer em silêncio total durante a realização dessa tarefa.

 

A água do santuário de Obàtálá deve ser trocada todos os dias para manter-se pura. Antigamente apenas mulheres virgens ou sem atividade sexual e de indiscutível reputação moral podiam apanhar água em sua nascente.

 

Durante todo o percurso de ida à fonte e retorno, para evitar que lhe dirijam a palavra, a pessoa que apanha a água faz soar continuamente o agogô, informando tratar-se de um cortejo sagrado.